***PAZ E BEM!*** SEJAM BEM-VINDOS AO BLOG DO SECRETARIADO BIBLÍCO DE SÃO MIGUEL AÇORES***UM FELIZ E SANTO NATAL E UM 2018 CHEIO DE SAÚDE E REPLETO DE BÊNÇÃOS DE DEUS***

Bíblia Online

Evangelho do Dia

sábado, 27 de dezembro de 2014

SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ - Festa - Ano B

Livro de Génesis 15,1-6.21,1-3. 
Naqueles dias, o Senhor disse a Abrão numa visão: «Nada temas, Abrão! Eu sou o teu escudo, a tua recompensa será muito grande.» 
Abrão respondeu: «Que me dareis, Senhor Deus? Vou-me sem filhos e o herdeiro da minha casa é Eliézer, de Damasco.» 
Acrescentou: «Não me concedeste descendência, e é um escravo, nascido na minha casa, que será o meu herdeiro.» 
Então a palavra do Senhor foi-lhe dirigida, nos seguintes termos: «Não é ele que será o teu herdeiro, mas aquele que sairá das tuas entranhas.» 
E, conduzindo-o para fora, disse-lhe: «Levanta os olhos para o céu e conta as estrelas, se fores capaz de as contar.» E acrescentou: «Pois bem, será assim a tua descendência.» 
Abrão confiou no Senhor, e Ele considerou-lhe isso como mérito. 
O Senhor visitou Sara, como lhe tinha dito, e realizou nela o que prometera. 
Sara concebeu e, na data marcada por Deus, deu um filho a Abraão, quando este já era velho. 
Ao filho que lhe nascera de Sara, deu Abraão o nome de Isaac. 



Livro de Salmos 105(104),1b-2.3-4.5-6.8-9. 
Louvai o Senhor, aclamai o seu nome, 
anunciai entre os povos as suas obras. 
Cantai-lhe hinos e salmos, 
proclamai as suas maravilhas. 

Orgulhai-vos do seu nome santo; 
alegre-se o coração dos que procuram o Senhor. 
Recorrei ao Senhor e ao seu poder 
e buscai sempre a sua face. 

Recordai as maravilhas que Ele fez, 
os seus prodígios e as sentenças da sua boca,
Descendentes de Abraão, seu servo, 
filhos de Jacob, seu eleito. 

Ele recorda sempre a sua aliança, 
a palavra que empenhou para mil gerações, 
o pacto que estabeleceu com Abraão, 
o juramento que fez a Isaac. 




Carta aos Hebreus 11,8.11-12.17-19. 
Irmãos: Pela fé, Abraão, ao ser chamado, obedeceu e partiu para um lugar que havia de receber como herança e partiu sem saber para onde ia. 
Pela fé, também Sara, apesar da sua avançada idade, recebeu a possibilidade de conceber, porque considerou fiel aquele que lho tinha prometido. 
Por isso, de um só homem, e já marcado pela morte, nasceu uma multidão tão numerosa como as estrelas do céu e incontável como a areia da beira-mar. 
Pela fé, Abraão, quando foi posto à prova, ofereceu Isaac, e estava preparado para oferecer o seu único filho, ele que tinha recebido as promessas e 
a quem tinha sido dito: Por meio de Isaac será assegurada a tua descendência. 
De facto, ele pensava que Deus tem até poder para ressuscitar os mortos; por isso, numa espécie de prefiguração, recuperou o seu filho. 



Evangelho segundo S. Lucas 2,22-40. 
Ao chegarem os dias da purificação, segundo a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, para O apresentarem ao Senhor,
como está escrito na Lei do Senhor: «Todo o filho primogénito varão será consagrado ao Senhor», 
e para oferecerem em sacrifício um par de rolas ou duas pombinhas, como se diz na Lei do Senhor. 
Vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão, homem justo e piedoso, que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava nele. 
O Espírito Santo revelara-lhe que não morreria antes de ver o Messias do Senhor; 
e veio ao templo, movido pelo Espírito. Quando os pais de Jesus trouxeram o Menino, para cumprirem as prescrições da Lei no que lhes dizia respeito, 
Simeão recebeu-O em seus braços e bendisse a Deus, exclamando: 
«Agora, Senhor, segundo a vossa palavra, deixareis ir em paz o vosso servo, 
porque os meus olhos viram a vossa salvação, 
que pusestes ao alcance de todos os povos: 
luz para se revelar às nações e glória de Israel, vosso povo». 
O pai e a mãe do Menino Jesus estavam admirados com o que d’Ele se dizia. 
Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua Mãe: «Este Menino foi estabelecido para que muitos caiam ou se levantem em Israel e para ser sinal de contradição; 
– e uma espada trespassará a tua alma – 
assim se revelarão os pensamentos de todos os corações». 
Havia também uma profetisa, Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada 
e tinha vivido casada sete anos após o tempo de donzela e viúva até aos oitenta e quatro. Não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia, com jejuns e orações. 
Estando presente na mesma ocasião, começou também a louvar a Deus e a falar acerca do Menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. 
Cumpridas todas as prescrições da Lei do Senhor, voltaram para a Galileia, para a sua cidade de Nazaré. 
Entretanto, o Menino crescia e tornava-Se robusto, enchendo-Se de sabedoria. E a graça de Deus estava com Ele. 

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO - 25 de Dezembro 2014



Livro de Isaías 52,7-10. 
Como são belos sobre os montes os pés do mensageiro que anuncia a paz, que traz a boa nova, que proclama a salvação e diz a Sião: «O teu Deus é Rei».
Eis o grito das tuas sentinelas que levantam a voz. Todas juntas soltam brados de alegria, porque vêm com os próprios olhos o Senhor que volta para Sião.
Rompei todas em brados de alegria, ruínas de Jerusalém, porque o Senhor consola o seu povo, resgata Jerusalém.
O Senhor descobre o seu santo braço à vista de todas as nações, e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus.



Livro de Salmos 98(97),1.2-3ab.3cd-4.5-6. 
Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço Lhe deram a vitória.

O Senhor deu a conhecer a salvação,
revelou aos olhos das nações a sua justiça.
Recordou-Se da sua bondade e fidelidade

em favor da casa de Israel.
Os confins da terra puderam ver
a salvação do nosso Deus.

Aclamai o Senhor, terra inteira,
exultai de alegria e cantai.
Cantai ao Senhor ao som da cítara,

ao som da cítara e da lira;
ao som da tuba e da trombeta,
aclamai o Senhor, nosso Rei.




Carta aos Hebreus 1,1-6. 
Muitas vezes e de muitos modos falou Deus antigamente aos nossos pais, pelos Profetas.
Nestes dias, que são os últimos, falou-nos por seu Filho, a quem fez herdeiro de todas as coisas e pelo qual também criou o universo.
Sendo o Filho esplendor da sua glória e imagem da sua substância, tudo sustenta com a sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, sentou-Se à direita da Majestade no alto dos Céus
e ficou tanto acima dos Anjos quanto mais sublime que o deles é o nome que recebeu em herança.
A qual dos Anjos, com efeito, disse Deus alguma vez: «Tu és meu Filho, Eu hoje Te gerei»? E ainda: «Eu serei para Ele um Pai e Ele será para Mim um Filho»?
E de novo, quando introduziu no mundo o seu Primogénito, disse: «Adorem-n’O todos os Anjos de Deus».



Evangelho segundo S. João 1,1-18. 
No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus.
No princípio, Ele estava com Deus.
Tudo se fez por meio d'Ele e sem Ele nada foi feito.
N'Ele estava a vida e a vida era a luz dos homens.
A luz brilha nas trevas e as trevas não a receberam.
Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João.
Veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos acreditassem por meio dele.
Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz.
O Verbo era a luz verdadeira, que, vindo ao mundo, ilumina todo o homem.
Estava no mundo e o mundo, que foi feito por Ele, não O conheceu.
Veio para o que era seu e os seus não O receberam.
Mas àqueles que O receberam e acreditaram no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus.
Estes não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós. Nós vimos a sua glória, glória que Lhe vem do Pai como Filho Unigénito, cheio de graça e de verdade.
João dá testemunho d'Ele, exclamando: "Era deste que eu dizia: 'O que vem depois de mim passou à minha frente, porque existia antes de mim'".
Na verdade, foi da sua plenitude que todos nós recebemos graça sobre graça.
Porque, se a Lei foi dada por meio de Moisés, a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.
A Deus, nunca ninguém O viu. O Filho Unigénito, que está no seio do Pai, é que O deu a conhecer. 

NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO - 24 de Dezembro 2014

Livro de Isaías 9,1-6. 
O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam nas sombras da morte uma luz começou a brilhar. 
Multiplicastes a sua alegria, aumentastes o seu contentamento. Rejubilam na vossa presença, como os que se alegram no tempo da colheita, como exultam os que repartem despojos. 
Vós quebrastes, como no dia de Madiã, o jugo que pesava sobre o povo, o madeiro que ele tinha sobre os ombros e o bastão do opressor. 
Todo o calçado ruidoso da guerra e toda a veste manchada de sangue serão lançados ao fogo e tornar-se-ão pasto das chamas. 
Porque um menino nasceu para nós um filho nos foi dado. Tem o poder sobre os ombros e será chamado «Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz». 
O seu poder será engrandecido numa paz sem fim, sobre o trono de David e sobre o seu reino, para o estabelecer e consolidar por meio do direito e da justiça, agora e para sempre. Assim o fará o Senhor do Universo. 



Livro de Salmos 96(95),1-3.11-13. 
Cantai ao Senhor um cântico novo, 
cantai ao Senhor, terra inteira. 
Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome, 
anunciai dia a dia a sua salvação 

publicai entre as nações a sua glória, 
em todos os povos as suas maravilhas. 
Alegrem-se os céus, exulte a terra, 
ressoe o mar e tudo o que ele contém. 

Exultem os campos e quanto neles existe, 
alegrem-se as árvores dos bosques. 
Diante do Senhor que vem, que vem para julgar a terra. 
Julgará o mundo com justiça e os povos com fidelidade. 




Carta a Tito 2,11-14. 
Caríssimo: Manifestou-se a graça de Deus, fonte de salvação para todos os homens. 
Ela nos ensina a renunciar à impiedade e aos desejos mundanos, para vivermos, no tempo presente, com temperança, justiça e piedade, 
aguardando a ditosa esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo, 
que Se entregou por nós, para nos resgatar de toda a iniquidade e preparar para Si mesmo um povo purificado, zeloso das boas obras. 



Evangelho segundo S. Lucas 2,1-14. 
Naqueles dias, saiu um decreto de César Augusto, para ser recenseada toda a terra. 
Este primeiro recenseamento efetuou-se quando Quirino era governador da Síria. 
Todos se foram recensear, cada um à sua cidade. 
José subiu também da Galileia, da cidade de Nazaré, à Judeia, à cidade de David, chamada Belém, por ser da casa e da descendência de David, 
a fim de se recensear com Maria, sua esposa, que estava para ser mãe. 
Enquanto ali se encontravam, chegou o dia de ela dar à luz 
e teve o seu Filho primogénito. Envolveu-O em panos e deitou-O numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria. 
Havia naquela região uns pastores que viviam nos campos e guardavam de noite os rebanhos. 
O Anjo do Senhor aproximou-se deles, e a glória do Senhor cercou-os de luz; e eles tiveram grande medo. 
Disse-lhes o Anjo: «Não temais, porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo: 
nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador, que é Cristo Senhor. 
Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino recém-nascido, envolto em panos e deitado numa manjedoura». 
Imediatamente juntou-se ao Anjo uma multidão do exército celeste, que louvava a Deus, dizendo: 
«Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados». 

domingo, 21 de dezembro de 2014

4º Domingo do Advento - Ano B



Livro de 2º Samuel 7,1-5.8b-12.14a.16. 
Quando David já morava em sua casa e o Senhor lhe deu tréguas de todos os inimigos que o rodeavam,
o rei disse ao profeta Natã: «Como vês, eu moro numa casa de cedro e a arca de Deus está debaixo de uma tenda».
Natã respondeu ao rei: «Faz o que te pede o teu coração, porque o Senhor está contigo».
Nessa mesma noite, o Senhor falou a Natã, dizendo:
«Vai dizer ao meu servo David: Assim fala o Senhor: Pensas edificar um palácio para Eu habitar?
Tirei-te das pastagens onde guardavas os rebanhos, para seres o chefe do meu povo de Israel.
Estive contigo em toda a parte por onde andaste e exterminei diante de ti todos os teus inimigos. Dar-te-ei um nome tão ilustre como o nome dos grandes da terra.
Prepararei um lugar para o meu povo de Israel; e nele o instalarei para que habite nesse lugar, sem que jamais tenha receio e sem que os perversos tornem a oprimi-lo como outrora,
quando Eu constituía juízes no meu povo de Israel. Farei que vivas seguro de todos os teus inimigos. O Senhor anuncia que te vai fazer uma casa.
Quando chegares ao termo dos teus dias e fores repousar com teus pais, estabelecerei em teu lugar um descendente que há-de nascer de ti e consolidarei a tua realeza.
Serei para ele um pai e ele será para Mim um filho.
A tua casa e o teu reino permanecerão diante de Mim eternamente, e o teu trono será firme para sempre».



Livro de Salmos 89(88),2-3.4-5.27.29. 
Cantarei eternamente as misericórdias do Senhor
e para sempre proclamarei a sua fidelidade.
Vós dissestes:
«A bondade está estabelecida para sempre»,

no céu permanece firme a vossa fidelidade.
«Concluí uma aliança com o meu eleito,
fiz um juramento a David meu servo:
‘Conservarei a tua descendência para sempre,

estabelecerei o teu trono por todas as gerações’».
«Ele Me invocará: ‘Vós sois meu Pai,
meu Deus, meu Salvador’.
Assegurar-lhe-ei para sempre o meu favor,

a minha aliança com ele será irrevogável».



Carta aos Romanos 16,25-27. 
Irmãos:
Seja dada glória a Deus, que tem o poder de vos confirmar, segundo o Evangelho que eu proclamo, anunciando Jesus Cristo. Esta é a revelação do mistério que estava encoberto desde os tempos eternos,
mas agora foi manifestado e dado a conhecer a todos os povos pelas escrituras dos Profetas, segundo a ordem do Deus eterno, para que eles sejam conduzidos à obediência da fé.
A Deus, o único sábio, por Jesus Cristo, seja dada glória pelos séculos dos séculos. Ámen



Evangelho segundo S. Lucas 1,26-38. 
Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré,
a uma Virgem desposada com um homem chamado José, que era descendente de David. O nome da Virgem era Maria.
Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo: «Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo».
Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela.
Disse-lhe o Anjo: «Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus.
Conceberás e darás à luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus.
Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo. O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David; reinará eternamente sobre a casa de Jacob,
e o seu reinado não terá fim».
Maria disse ao Anjo: «Como será isto, se eu não conheço homem?».
O Anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus.
E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice, e este é o sexto mês daquela a quem chamavam estéril;
porque a Deus nada é impossível».
Maria disse então: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra»

sábado, 13 de dezembro de 2014

3º Domingo do Advento - Ano B

Livro de Isaías 61,1-2a.10-11.
O espírito do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me ungiu e me enviou a anunciar a boa nova aos pobres a curar os corações atribulados, a proclamar a redenção aos cativos e a liberdade aos prisioneiros,
a promulgar o ano da graça do Senhor.
Exulto de alegria no Senhor, a minha alma rejubila no meu Deus, que me revestiu com as vestes da salvação e me envolveu num manto de justiça, como noivo que cinge a fronte com o diadema e a noiva que se adorna com as suas joias.
Como a terra faz brotar os germes e o jardim germinar as sementes, assim o Senhor Deus fará brotar a justiça e o louvor diante de todas as nações.



Evangelho segundo S. Lucas 1,46-48.49-50.53-54.
Naquele tempo, Maria disse: «A minha alma glorifica o Senhor
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador,
porque pôs os olhos na humildade da sua serva: de hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações.
O Todo-poderoso fez em mim maravilhas: Santo é o seu nome.

A sua misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que O temem.
Aos famintos encheu de bens e aos ricos despediu de mãos vazias.
Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia.




1ª Carta aos Tessalonicenses 5,16-24.
Irmãos: Vivei sempre alegres,
orai sem cessar,
dai graças em todas as circunstâncias, pois é esta a vontade de Deus a vosso respeito em Cristo Jesus.
Não apagueis o Espírito,
não desprezeis os dons proféticos;
mas avaliai tudo, conservando o que for bom.
Afastai-vos de toda a espécie de mal.
O Deus da paz vos santifique totalmente, para que todo o vosso ser – espírito, alma e corpo – se conserve irrepreensível para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo.
É fiel Aquele que vos chama e cumprirá as suas promessas.



Evangelho segundo S. João 1,6-8.19-28.
Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João.
Veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos acreditassem por meio dele.
Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz.
Foi este o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram, de Jerusalém, sacerdotes e levitas, para lhe perguntarem: «Quem és tu?».
Ele confessou a verdade e não negou; ele confessou: «Eu não sou o Messias». «És o Profeta?». Ele respondeu: «Não».
Eles perguntaram-lhe: «Então, quem és tu? És Elias?». «Não sou», respondeu ele.
Disseram-lhe então: «Quem és tu? Para podermos dar uma resposta àqueles que nos enviaram, que dizes de ti mesmo?».
Ele declarou: «Eu sou a voz do que clama no deserto: ‘Endireitai o caminho do Senhor’, como disse o profeta Isaías».
Entre os enviados havia fariseus que lhe perguntaram:
«Então, porque batizas, se não és o Messias, nem Elias, nem o Profeta?».
João respondeu-lhes: «Eu baptizo na água, mas no meio de vós está Alguém que não conheceis:
Aquele que vem depois de mim, a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias».
Tudo isto se passou em Betânia, além do Jordão, onde João estava a batizar.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

IMACULADA CONCEIÇÃO DA VIRGEM SANTA MARIA, Padroeira principal de Portugal - Solenidade

Livro de Génesis 3,9-15.20. 
Depois de Adão ter comido da árvore, o Senhor Deus chamou-o e disse-lhe: «Onde estás?». 
Ele respondeu: «Ouvi o rumor dos vossos passos no jardim e, como estava nu, tive medo e escondi-me». 
Disse Deus: «Quem te deu a conhecer que estavas nu? Terias tu comido dessa árvore, da qual te proibira comer?». 
Adão respondeu: «A mulher que me destes por companheira deu-me do fruto da árvore e eu comi». 
O Senhor Deus perguntou à mulher: «Que fizeste?» E a mulher respondeu: «A serpente enganou-me e eu comi». 
Disse então o Senhor Deus à serpente: «Por teres feito semelhante coisa, maldita sejas entre todos os animais domésticos e entre todos os animais selvagens. Hás de rastejar e comer do pó da terra todos os dias da tua vida. 
Estabelecerei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a descendência dela. Esta te esmagará a cabeça e tu a atingirás no calcanhar». 
O homem deu à mulher o nome de Eva, porque ela foi a mãe de todos os viventes. 



Livro de Salmos 98(97),1.2-3ab.3cd-4. 
Cantai ao Senhor um cântico novo, 
pelas maravilhas que Ele operou. 
A sua mão e o seu santo braço 
Lhe deram a vitória. 

O Senhor deu a conhecer a salvação, 
revelou aos olhos das nações a sua justiça. 
Recordou-Se da sua bondade e fidelidade 
em favor da casa de Israel. 

Os confins da terra puderam ver 
a salvação do nosso Deus. 
Aclamai o Senhor, terra inteira, 
exultai de alegria e cantai. 




Carta aos Efésios 1,3-6.11-12. 
Bendito seja Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto dos Céus nos abençoou com toda a espécie de bênçãos espirituais em Cristo. 
N’Ele nos escolheu, antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, em caridade, na sua presença. 
Ele nos predestinou, conforme a benevolência da sua vontade, a fim de sermos seus filhos adotivos, por Jesus Cristo, 
para louvor da sua glória e da graça que derramou sobre nós, por seu amado Filho. 
Em Cristo fomos constituídos herdeiros, por termos sido predestinados, segundo os desígnios d’Aquele que tudo realiza conforme a decisão da sua vontade, 
para sermos um hino de louvor da sua glória, nós que desde o começo esperámos em Cristo. 



Evangelho segundo S. Lucas 1,26-38. 
Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, 
a uma Virgem desposada com um homem chamado José, que era descendente de David. O nome da Virgem era Maria. 
Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo: «Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo». 
Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela. 
Disse-lhe o Anjo: «Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 
Conceberás e darás à luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. 
Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo. O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David; reinará eternamente sobre a casa de Jacob 
e o seu reinado não terá fim». 
Maria disse ao Anjo: «Como será isto, se eu não conheço homem?» 
O Anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus. 
E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice e este é o sexto mês daquela a quem chamavam estéril; 
porque a Deus nada é impossível». 
Maria disse então: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra».

domingo, 7 de dezembro de 2014

2º Domingo do Advento - Ano B

Livro de Isaías 40,1-5.9-11. 
Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. 
Falai ao coração de Jerusalém e dizei-lhe em alta voz que terminaram os seus trabalhos e está perdoada a sua culpa, porque recebeu da mão do Senhor duplo castigo por todos os seus pecados. 
Uma voz clama: «Preparai no deserto o caminho do Senhor, abri na estepe uma estrada para o nosso Deus. 
Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas; endireitem-se os caminhos tortuosos e aplanem-se as veredas escarpadas. 
Então se manifestará a glória do Senhor e todo o homem verá a sua magnificência, porque a boca do Senhor falou». 
Sobe ao alto dum monte, arauto de Sião; grita com voz forte, arauto de Jerusalém; levanta sem temor a tua voz e diz às cidades de Judá: «Eis o vosso Deus. 
O Senhor Deus vem com poder, o seu braço dominará. Com Ele vem o seu prémio, precede-O a sua recompensa. 
Como um pastor apascentará o seu rebanho e reunirá os animais dispersos; tomará os cordeiros em seus braços, conduzirá as ovelhas ao seu descanso». 



Livro de Salmos 85(84),9ab-10.11-12.13-14. 
Escutemos o que diz o Senhor: 
Deus fala de paz ao seu povo e aos seus fiéis. 
A sua salvação está perto dos que O temem 
e a sua glória habitará na nossa terra. 

Encontraram-se a misericórdia e a fidelidade, 
abraçaram-se a paz e a justiça. 
A fidelidade vai germinar da terra 
e a justiça descerá do Céu. 

O Senhor dará ainda o que é bom 
e a nossa terra produzirá os seus frutos. 
A justiça caminhará à sua frente 
e a paz seguirá os seus passos. 




2ª Carta de S. Pedro 3,8-14. 
Há uma coisa, caríssimos, que não deveis esquecer: um dia diante do Senhor é como mil anos e mil anos como um dia. 
O Senhor não tardará em cumprir a sua promessa, como pensam alguns. Mas usa de paciência para convosco e não quer que ninguém pereça, mas que todos possam arrepender-se. 
Entretanto, o dia do Senhor virá como um ladrão: nesse dia, os céus desaparecerão com fragor, os elementos dissolver-se-ão nas chamas e a terra será consumida com todas as obras que nela existem. 
Uma vez que todas as coisas serão assim dissolvidas, como deve ser santa a vossa vida e grande a vossa piedade, 
esperando e apressando a vinda do dia de Deus, em que os céus se dissolverão em chamas e os elementos se fundirão no ardor do fogo! 
Nós esperamos, segundo a promessa do Senhor, os novos céus e a nova terra, onde habitará a justiça. 
Portanto, caríssimos, enquanto esperais tudo isto, empenhai-vos, sem pecado nem motivo algum de censura, para que o Senhor vos encontre na paz. 



Evangelho segundo S. Marcos 1,1-8. 
Princípio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Está escrito no profeta Isaías: 
«Vou enviar à tua frente o meu mensageiro, que preparará o teu caminho. 
Uma voz clama no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas’». 
Apareceu João Baptista no deserto, a proclamar um batismo de penitência para remissão dos pecados. 
Acorria a ele toda a gente da região da Judeia e todos os habitantes de Jerusalém, e eram batizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados. 
João vestia-se de pelos de camelo, com um cinto de cabedal em volta dos rins, e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. 
E, na sua pregação, dizia: «Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu, diante do qual eu não sou digno de me inclinar para desatar as correias das suas sandálias. 
Eu batizo-vos na água, mas Ele batizar-vos-á no Espírito Santo» 

domingo, 30 de novembro de 2014

1º Domingo do Advento - Ano B



Livro de Isaías 63,16b-17.19b.64,2b-7. 
Vós, Senhor, sois nosso Pai e nosso Redentor, desde sempre, é o vosso nome.
Porque nos deixais, Senhor, desviar dos vossos caminhos e endurecer o nosso coração, para que não Vos tema? Voltai, por amor dos vossos servos e das tribos da vossa herança.
Oh se rasgásseis os céus e descêsseis! Ante a vossa face estremeceriam os montes!
vendo os prodígios impressionantes que operavas.
Nunca os ouvidos escutaram, nem os olhos viram que um Deus, além de Vós, fizesse tanto em favor dos que n’Ele esperam.
Vós saís ao encontro dos que praticam a justiça e recordam os vossos caminhos. Estais indignado contra nós, porque pecámos e há muito que somos rebeldes, mas seremos salvos.
Éramos todos como um ser impuro, as nossas ações justas eram todas como veste imunda. Todos nós caímos como folhas secas, as nossas faltas nos levavam como o vento.
Ninguém invocava o vosso nome, ninguém se levantava para se apoiar em Vós, porque nos tínheis escondido o vosso rosto e nos deixáveis à mercê das nossas faltas.
Vós, porém, Senhor, sois nosso Pai, e nós o barro de que sois o Oleiro; somos todos obra das vossas mãos.



Livro de Salmos 80(79),2ac.3b.15-16.18-19. 
Pastor de Israel, escutai,
Vós que estais sentado sobre os Querubins, aparecei.
Despertai o vosso poder e vinde em nosso auxílio.
Deus dos Exércitos, vinde de novo,

olhai dos céus e vede, visitai esta vinha.
Protegei a cepa que a vossa mão direita plantou,
o rebento que fortalecestes para Vós.
Estendei a mão sobre o homem que escolhestes,

sobre o filho do homem que para Vós criastes;
e não mais nos apartaremos de Vós:
fazei-nos viver e invocaremos o vosso nome.




1ª Carta aos Coríntios 1,3-9. 
A graça e a paz vos sejam dadas da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
Dou graças a Deus, em todo o tempo, a vosso respeito, pela graça divina que vos foi dada em Cristo Jesus.
Porque fostes enriquecidos em tudo: em toda a palavra e em todo o conhecimento;
e deste modo, tornou-se firme em vós o testemunho de Cristo.
De facto, já não vos falta nenhum dom da graça, a vós que esperais a manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Ele vos tornará firmes até ao fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão com seu Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor.



Evangelho segundo S. Marcos 13,33-37. 
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Tomai cuidado, vigiai, pois não sabeis quando chegará esse momento.
Será como um homem que partiu de viagem: ao deixar a sua casa, deu plenos poderes aos seus servos, atribuindo a cada um a sua tarefa, e mandou ao porteiro que vigiasse.
Vigiai, portanto, visto que não sabeis quando virá o dono da casa: se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se de manhãzinha;
não se dê o caso que, vindo inesperadamente, vos encontre a dormir.
O que vos digo a vós, digo-o a todos: Vigiai! 

Terminou em Ponta Delgada a XX Semana Bíblica Diocesana

Organizadores da XX Semana Bíblica diocesana de São Miguel fazem balanço positivo

Organizadores da XX Semana Bíblica diocesana de São Miguel fazem balanço positivo
A Bíblia como Evangelho da Família foi o tema em debate durante cinco dias
O balanço da XX Semana Bíblica Diocesana de São Miguel é “positivo” não só pela “qualidade revelada pelos conferencistas” mas também pela “numerosa assistência” que nos últimos cinco dias acorreu à Igreja de Nossa Senhora de Fátima no Lajedo, em Ponta Delgada.
Em declarações ao Sítio Igreja Açores, o responsável espiritual do Secretariado Bíblico de São Miguel, Pe Cipriano Pacheco, sublinha o facto de “haver uma clara manifestação de interesse por uma iniciação bíblica” não só pelos mais velhos mas sobretudo “pelo trabalho de animação das meditações” desenvolvido por vários grupos de jovens.
Durante cinco dias, quatro conferencistas abordaram a origem da família e as suas tarefas num contexto bíblico que, sempre que possível, “foi transposto para o dia a dia”, sublinhou o vigário Episcopal para a Ilha de São Miguel.
Sob o tema “Bíblia, o Evangelho da Família”, pelo menos dois dos conferencistas apresentaram soluções à luz da doutrina e da história da igreja para ir um pouco mais além no acolhimento e no encontro das famílias mais problemáticas, como de resto apela o papa Francisco.
“As intervenções aproximaram-se muito da visão pastoral do Papa… aqui as pessoas estão abertas para uma nova relação com as famílias desavindas”, sublinha em concreto o Pe Cipriano Pacheco.
Para o próximo ano já está definida a temática da XXI Semanada Bíblica diocesana de São Miguel que será orientada para o Ano da Vida Consagrada.
“Esperamos que este movimento se renove e para isso contamos com a ajuda das paróquias e sobretudo da pastoral juvenil procurando despertar corações e sensibilidades para a leitura e prática do evangelho”.
As semanas bíblicas resultam de uma co organização entre o Secretariado Bíblico, a Diocese e o Movimento de dinamização Bíblica nacional.

Por: Carmo Rodeia
Fonte: www.igrejaacores.pt

Pe. Ricardo Henriques apresentou o tema "A Família na Bíblia" na XX Semana Bíblica Diocesana

Sociedade atual desvaloriza a família porque privilegia o individualismo

Sociedade atual desvaloriza a família porque privilegia o individualismo
Vice reitor do Seminário de Angra realizou conferência sobre a Família na Bíblia no encerramento da XX Semana Bíblica Diocesana de São Miguel
O grande problema da sociedade atual reside no facto do homem se olhar como centro do mundo,  desvalorizando a relação com o outro e isso faz com que o valor da família também se deteriore, disse esta sexta feira à noite o Pe Ricardo Henriques no encerramento da XX Semana Bíblica Diocesana de São Miguel, que se realizou na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Ponta Delgada.
“Se nós olhássemos para as nossas famílias em concreto e cada um de nós soubesse qual é o seu lugar e que esse lugar é insubstituível e não pode ser ocupado por outro, se calhar conseguiríamos ultrapassar ciúmes, enredos invejas que destroem a família e que comprometem uma verdadeira aproximação ao ideal de família”, sublinhou o sacerdote que é especialista em Sagrada Escritura.
O vice reitor do Seminário Episcopal de Angra encerrou a  XX Semana Bíblica Diocesana de São Miguel com uma conferência sobre a Família na Bíblia.
O Pe Ricardo Henriques lembrou a tensão “dialética” entre o ideal de família e a família real, como uma espécie de estímulo para uma “caminhada que cada família é convidada a fazer num esforço continuo de chegar o mais próximo possível do ideal das origens”.
Nesse tempo, como hoje, a família era a “célula” da sociedade e o ”ponto de união” entre as várias instituições sociais e, se “a família não funcionava o resto também deixava de funcionar”, sublinhou o sacerdote lembrando que, desde sempre “foi assim”, porque o ser humano só existe de forma completa na especificidade do homem e da mulher, cujo amor é materializado na descendência, ou seja,  nos filhos.
De resto, salientou o professor de Sagrada Escritura, o próprio processo de criação da humanidade descrito no  Genesis aponta para essa “relação horizontal” entre o homem, a mulher e, depois destes, com os filhos.
“O ser humano só existe de forma completa na especificidade do homem e da mulher e quando reconhece a obra do seu criador, abrindo ao outro o seu coração”, concluiu o Pe Ricardo Henriques, lembrando ainda uma perspetiva muito atual, na linha “da ecologia” em que a família humana é convidada a conviver com outras famílias, de outras espécies.
O Pe Ricardo Henriques foi o último conferencista da Semana Bblica que se realizou em Ponta Delgada, na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima no Lajedo, dedicada à  Bíblia como o Evangelho da família.
No final de cada sessão grupos de jovens micaelenses, pertencentes a diferentes paróquias e movimentos, animaram a celebração da palavra.
A Semana Bíblica terminou com a celebração da Eucaristia, presidida por Frei Herculano Alves, um dos palestrantes e co organizadores desta semana, e concelebrada pelos Padres Cipriano Pacheco e Horácio Dutra, Vigário Episcopal para a ilha de São Miguel e ouvidor das Capelas, respetivamente.

Por: Carmo Rodeia
Fonte:www.igrejaacores.pt

2017 Ano litúrgico A

2017 Ano litúrgico A

BIBLIA = BIBLIOTECA

BIBLIA = BIBLIOTECA

Trabalhos em PowerPoint disponiveis para Download

Trabalhos em PowerPoint disponiveis para Download

.

Obrigado pela sua visita
Volte sempre e
fique com Deus!

"Porque esta PALAVRA está muito perto de ti, na tua boca, e no teu coração, para a cumprires" (Deut.30.14)